O Doador de Memórias - Louis Lowry

Boa tarde!

Até o fim do mês de fevereiro pretendo colocar todas as resenhas em dia, então se preparem para muitas críticas e sugestões de livros! Na verdade era isso o que eu deveria ter feito durante as férias (mas estava ocupada lendo, rs).
Hoje resolvi não deixar para amanhã o que posso fazer agora, já que acabo de terminar O Doador de Memórias, primeiro volume da série O Doador, que foi adaptado para o cinema ano passado.

Capa do filme
Sinopse:
Em O doador de memórias, a premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.
Skoob
 - Poder escolher é que é importante, não é? - perguntou o Doador. - Pág. 102
Opinião:
Por ser um livro curto, de apenas 190 páginas, e possuir uma linguagem simples, li em dois dias, praticamente de uma vez só. A história é cativante e tudo o que você sente é vontade de prosseguir e ver o que acontece. Quer dizer, tudo não.
Por ser uma distopia, a sociedade em que o protagonista vive é muito diferente da nossa e aparentemente perfeita. Não há violência, conflitos e nem mesmo dor, mas por outro lado também não existe amor, cor ou música. A vida na comunidade é previsível, estritamente organizada e planejada, sempre igual. As famílias são planejadas de acordo com os Anciãos, que são como os governantes da comunidade, portanto ninguém escolhe seu cônjuge ou filho: as unidades familiares são compostas pelo pai, mãe, um menino e uma menina. A rotina também é cheia de regras, como a obrigação de falar sobre seus sonhos com a família ao acordar de manhã e de tomar uma pílula para reprimir o desejo a partir de certa idade. Durante os primeiros doze anos de vida de cada indivíduo, cada ano tem uma cerimônia especial na qual eles ganham algo que os distingue das outras faixas-etárias, por exemplo, aos Nove todos ganham uma bicicleta, que é seu meio de locomoção. A cerimônia mais importante, porém, é a dos Doze. A partir daí, cada um passa a ser treinado de acordo com a área para qual os Anciões reconheceram que tem aptidão.
Ao chegar aos Doze, o personagem principal, Jonas, é escolhido para ser o Recebedor de Memórias, que é único na comunidade, sendo aquele que mantém as lembranças do passado da humanidade, tanto as boas quanto as ruins. O tutor de Jonas é chamado de Doador. Durante a narrativa o Doador transmite a Jonas as memórias do que existia, e o garoto passa a questionar a sociedade atual que vive na Mesmice. Ele não pode compartilhar essas lembranças com ninguém, e é doloroso ser o único capaz de ver as cores (e aprender seus nomes), de saber o que são os sentimentos e o poder das memórias. Depois disso, não posso mais contar nada sem dar spoiler.
A história é muito interessante e chega até a chocar o leitor em alguns momentos. Como seria nossa realidade se não pudéssemos fazer escolhas na vida e, o pior, se não tivéssemos sentimentos, não soubéssemos o que é amor? E se a vida fosse preto e branco, sem música, sem obstáculos, planejada para ser perfeita, mas sempre igual? Esses questionamentos e os métodos utilizados pela comunidade par manter tudo em ordem levam a uma reflexão sobre o quanto nossas lembranças e sentimentos são importantes, praticamente vitais para a felicidade.
A série O Doador possui mais três livros, por isso o final do livro deixou uma grande lacuna ainda a ser preenchida. Apesar de ficar impressionada e interessada pela criatividade da autora, não foi um daqueles livros que me deixaram super animada, então dei três estrelas no Skoob. Agora quero ver o filme, que parece muito bom apesar de que pelo trailer parece bem mais incrementado que o livro (e o começo do trailer me lembra Divergente haha).
Falando de outra distopia, por favor: não comparem O Doador com as sagas atuais, pois esse livro foi publicado pela primeira vez nos anos 90. Só para aqueles que tem mania de achar que certo autor copiou sua série preferida. ;) Gente, temos de ser abertos a novidades!

Nota: 7,0

- Vocês me amam? 
Seguiu-se um silêncio embaraçoso por um momento. Então o Pai deu uma risadinha.
- Jonas, logo você! Precisão de linguagem, por favor!
- Como assim? - perguntou Jonas. Risadas não eram absolutamente o que havia esperado.
- Seu pai está querendo dizer que você se expressou de forma muito generalizada,com uma palavra tão sem sentido que já tornou quase obsoleta - explicou-lhe a mãe em tom cuidadoso.
Jonas os fitou. Sem sentido? Ele nunca havia vivenciado nada mais significativo e tão cheio de sentido do que aquela lembrança.
- E é claro que nossa comunidade não pode funcionar direito se as pessoas não usarem uma linguagem precisa. Você poderia perguntar: "Vocês gostam de mim?" A resposta é "Sim" - disse sua mãe.
- Ou, então - sugeriu o pai - , "Vocês se orgulham dos meus talentos?". E a resposta é, com toda convicção, "Sim".
- Compreende por que é inconveniente usar uma palavra como "amor"? - perguntou a Mãe. 
                                                                                                                   - Pag. 131/132
Ficha técnica:
Título: O Doador de Memórias

Título original: The Giver

Autora: Louis Lowry

Editora: Arqueiro

Nº de págs.: 190


Filme:
Diretor: Phillip Noyce 

Elenco: Brenton Thwaits (Jonas), Cameron Monaghan (Asher), Odeya Rush (Fiona), Jeff Bridges (O Doador), Meryl Streep (Anciã Chefe), Taylor Swift (Rosemary).

Trailer:

Já leu ou assistiu ao filme? Comente o que achou! Sou aberta a todas as opiniões!

Organizando os livros [Vida de Leitor #2]


Bom dia!

Voltando com a coluna Vida de Leitor, hoje o tema é organização de livros! Na vida dos leitores em geral, é difícil tanto arrumar espaço para todos os livros quanto decidir a melhor de forma de organizá-los. Por isso selecionei algumas ideias legais para vocês se inspirarem e arrumarem o cantinho dos seus livros da forma que preferirem!

Antes de falarmos das estantes de livros, vejamos algumas sugestões diferenciadas:


Para quem não tem muito espaço em casa, organizar os livros em cestos é uma ideia prática e economiza um bom espaço, já que podem ficar embaixo de móveis.


Esses porta livros feitos com caixas de leite ou cereal são as sugestões mais econômicas, e o bom é que você pode encapar e decorar como quiser! Além disso, também podem ser utilizados para guardar marcadores de página.


Porta livros desse tipo, que também podem ser utilizados como itens de decoração, podem sair mais caro (o 1º R$ 60,90; o 2º 35,90; o 3º 53,90 na Casa Geek) que as opções anteriores, mas são lindos e criativos. Por exemplo, nesse último os balõezinhos podem ser preenchidos com a mensagem que você quiser! Legal, né?


Outra opção econômica são essas prateleiras feitas de caixotes usados. Bem prático!

Agora sim, vamos ver algumas ideias de estantes! O exemplo acima foi feita embaixo de uma escada, preenchendo um espaço que geralmente não é usado para nada e deixando livre outros cômodos que abrigariam a estante. Essa é uma ideia que pretendemos por em prática aqui em casa, já que o espaço da estante para mais livros está acabando, haha!

Essa é uma estante comum, mas com um detalhe especial: a escadinha. Acho estantes assim super charmosas, como as de algumas bibliotecas. Não tem como eu ver uma dessa sem pensar nessa cena de A Bela e a Fera, rsrs:


Certo, continuemos...

Estantes diferentes e criativas acabam sendo multifuncionais: guardam seus livros e decoram a casa. Claro que também são mais caras que as convencionais. Mas se eu pudesse escolher, preferiria as duas primeiras! E vocês?

Outra solução fácil e decorativa! Por Carolina Cardenas (We Heart It).

Essa é um sonho! Que leitor não queria ter um esconderijo atrás da estante, hein? Pelo menos quando se é livre para entrar e sair quando quiser (lembrando de Anne Frank).

Tcharam! Essa é a minha coleção. Não está com a melhor das organizações e estão faltando uns cinco livros que estão emprestados, mas pretendo reorganizá-la logo. E aí é que está: qual a melhor maneira de ordenar os livros? Por gênero, tamanho, coleção... são diversas possibilidades. Na última coluna Papos de Quarta no blog da Galera Record, o tema foi exatamente esse. As soluções mais práticas e funcionais são organizar por ordem alfabética (título do livro ou nome do autor) e por gênero (ex.: romance, ficção científica, fantasia, literatura estrangeira, literatura nacional). Visualmente, fica legal alternar os livros na vertical e horizontal, alinhá-los de acordo com a cor e tamanho. Para ler o texto completo: Pausa para Shelfie.


Bem, quando eu me decidir, mostro para vocês o resultado!


E aí, gostaram das dicas? Como vocês organizam seus livros? Compartilhem as fotos de suas estantes comigo no facebook e twitter :D

Até o próximo tema da Vida de Leitor!

P.S.: sugiram temas legais para a coluna!

Fontes da imagens:
Casa Geek
Rô Art Estilo
Blog Gale Record
Artesenato e reciclagem
love chewed
We <3 It
Google Imagens

Meta de leitura para 2015!

Olá, leitores! Voltei!

Estive viajando nas últimas duas semanas (foi muito bom!), mas não pude deixar de pensar em projetos que eu gostaria de realizar aqui no blog em 2015. 

Como costumo fazer, reuni nesse post alguns dos livros que pretendo ler esse ano. Minha meta em quantidade é ler 40 livros (ousei, não sei se vou conseguir porque tem uns livros que quero reler, mas... vamos ver o que acontece), ou seja, um pouco mais do que esse ano (33). Bem, já li dois, faltam 38, haha!

A Abadia de Northanger - Jane Austen
Último livro da Jane que falta para minha coleção, já que acabo de ler Mansfield Park. A cada livro, amo mais essa autora clássica!

Jane Austen: uma vida revelada - Catherine Reef
No embalo do meu amor pelas obras da Jane Austen, estou ansiosa para ler esse interessante relato sobre a vida dela, baseado nas cartas e livros da autora.


Jane Eyre - Charlotte Bronte
Já que comecei a me interessar pelos clássicos, quero conhecer mais uma aclamada autora: Charlotte Bronte (apesar de ela ter criticado as obras da Jane Austen).


O Silmarillion - J. R. R. Tolkien
Mudando de gênero, esse é um livro que tenho interesse em ler principalmente porque amo todos os livros que já li de Tolkien, e o gênero que ele escreve: fantasia.


O Filho de Sobek - Rick Riordan
Esse pequeno crossover entre Percy Jackson e As Crônicas dos Kane foi lançado a dois anos e a dois anos quero lê-lo, mas sempre acabo esquecendo por ser apenas em formato de e-book. Mas desse ano não passa, senão que tipo de fã sou eu, haha? Amo Percy e Carter, e minha ansiedade em vê-los juntos é ainda maior agora que suas duas sagas terminaram (triste).


Magnus Chase e os deuses de Asgard: A Espada do Verão - Rick Riordan
Essa é a nova série de mitologia do tio Rick, e é óbvio que vou acompanhá-la, ansiosa para conhecer os novos personagens e histórias. E ainda por cima Magnus é parente da Annabeth, então *-*
(Ainda sem capa.)

Literatura brasileira
Pretendo ler mais alguns livros de literatura nacional, por motivos de: 1) escola 2) interesse pessoal. Afinal, ainda li pouco esse gênero, na minha opinião, ou pelo menos não tanto quanto literatura estrangeira.

Pretendo também terminar de ler A Bíblia, porque é o melhor e mais verdadeiro livro que existe, e não posso passar mais um ano sem ter lido todos os livros contidos nela.

E vocês, quantos e quais livros pretendem ler em 2015? Estão participando de algum desafio literário (eu estou pensando nisso).

Bia.

Perspectivas de 2014

Polaroid do 1989, Taylor Swift

 Para o Brasil, 2014 não foi um ano para ser lembrado com futuras saudades, orgulho ou mesmo alegria, principalmente no que se refere à política (embora a corrupção permaneça infelizmente constante ano após ano, apenas se renovando com novos escândalos) e à economia. A consequência dos desperdícios de água se revela e em muitas cidades há racionamento, enquanto a chuva é agora mais bem vinda do que nunca em São Paulo. Até no futebol nos decepcionamos, com uma épica derrota de 7x1 nas semifinais da Copa do Mundo que sediamos.
 Aliás, ao redor de todo o mundo esse não foi um ano positivamente memorável. As guerras e conflitos continuam, o surto do ebola se espalha pela África, tragédias ocorrem o tempo todo em todo lugar (não que isso seja outra novidade). Também houve coisas boas, mas em geral muitos dizem que esse foi um ano para ser esquecido, pelo menos do ponto de vista mais abrangente do nosso planeta e da nossa sociedade. Se bem que, desse ponto de vista, nunca faltem desgraças em tempo algum.

 Bem, e o que dizer da minha realidade, muito menos abrangente e felizmente menos terrível - embora para outros, seja ainda pior -, que chamam de vida pessoal?

 Nenhuma palavra é tão completa ao ponto de descrever tudo o que vivi esse ano. Vivi: esse é um verbo bom o bastante para englobar outros tais como senti, aprendi, pensei, etc.. Precisei me adaptar a uma mudança que eu nunca esperara que fosse tão difícil: aprender a ficar constantemente sem amigas que tive por anos em meu dia-a-dia; que a ausência é dolorosamente silenciosa. Nada, nem as matérias novas ou horas a mais de estudo exigidas pelo Ensino Médio, foi mais difícil que me acostumar a essa ausência e à saudade que trouxe com ela. Mas ela também me deu a oportunidade de conhecer pessoas novas a quem já amo e a quem agradeço pelos ótimos momentos e lembranças que levo desse ano. Assim, conservo as mais antigas (e eternas) amizades e eternizo as novas. Também acredito que nunca tive tantos professores tão bons ao mesmo tempo que eu além de respeitar, amasse quase tanto quanto meus amigos.
 Quando tudo parecia mais estável nessa parte da minha vida, lá veio uma surpresa, pior que tudo. Vi meu pequeno primo ficar uma semana no hospital e agora o vejo passar pelo tratamento, desejando que passe logo, pois sei que no fim ele será tão saudável quanto antes, que Deus cuida dele. Você não entende todo o peso da palavra leucemia até estar perto dela.
 Foram muitos outros os aprendizados que 2014 me trouxe, um ano em que minha vida foi uma montanha-russa com altos e baixos e vários loopings. A vida é assim, na verdade. Mas sou grata a Deus por estar comigo em todos esses momentos, por me ensinar com cada dificuldade e cuidar da minha felicidade. Obrigada, Senhor, por mais um ano!

We <3 It
 E para 2015, o que eu espero? Quero ser melhor em todos os aspectos. Aproveitar cada momento, cada matéria da escola, cada aula, cada pessoa amada. Ser mais dedicada aos meus talentos, aos meus amigos, a Deus, ao blog, tanto o quanto for possível. Administrar melhor meu tempo. Pensar menos no passado. Ser - como sempre - feliz em qualquer ocasião. Começar a decidir o que quero fazer na faculdade... Ciências Exatas, Biológicas, Engenharia Ambiental, o que eu quero? Daqui a seis dias, faço 16 anos, e mal posso acreditar que tanto tempo já se passou.
 Que esse ano será melhor tenho certeza, se Deus quiser. Estou segura com Ele.

 Espero que vocês, leitores do blog, acompanhem-me em 2015! Amo vocês!

 Beijos, Bia!


 P.S.: estarei viajando nas próximas duas semanas, vou tentar postar algo nesse meio tempo!
 P. P. S.: coloquei fotos das polaroids do 1989 porque 2014 foi considerado o ano da Taylor Swift, já que ela salvou a indústria musical e lançou um novo álbum incrível (feliz por ser swiftie), e também porque de certa forma ela faz bastante parte da minha vida com sua música. E simplesmente porque amo essas polaroids, principalmente as que tem trechos de músicas com que me identifico ;)

Retrospectiva: balanço literário 2014

Primeiramente, feliz ano novo leitores! 

Como já venho fazendo há alguns anos, organizei essa retrospectiva dos livros que li em 2014, e também resolvi responder a essa espécie de tag, um balanço literário criado por um leitor e usuário do Skoob, que o site resolveu divulgar e eu achei interessante.

Primeiro, as perguntas!

1) O melhor livro que li este ano: 
Difícil de responder, pois foram vários ótimos livros. Fico em dúvida entre Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), Razão e Sensibilidade, A menina que roubava livros, Batendo à porta do céu e Emma, para citar alguns dos quais dei cinco estrelas no Skoob.

2) Surpreendeu positivamente:

O Sangue do Olimpo, que encerrou a série Os Heróis do Olimpo (só de pensar que acabou algo em mim dói), porque eu esperava várias mortes que não ocorreram e fiquei muito aliviada com isso. Além disso, é um ótimo livro e fiquei satisfeita com o final.


3) Surpreendeu negativamente:




A série A Seleção. Não que seja ruim, mas por tudo o que ouvi falar esperava mais, e foi exatamente por isso que surpreendeu. Não pretendo ler os próximos volumes, que estão para ser lançados.
 

4) Abandonei, mas vou dar uma chance:
Isso aconteceu com O Homem que Calculava, que comecei a ler no início do ano, deixei de lado para dar atenção a outros livros, e só retomei a leitura em novembro. Agora, li e gostei.

5) Leitura boa, mas difícil:





Memórias póstumas de Brás Cubas. A escrita de Machado de Assis é maravilhosa e a ideia da história é boa, mas demorei para engolir por causa do vocabulário e porque minha edição tinha as notas no fim do livro, e me irrita ter que ficar parando para checá-las toda hora. Ainda bem que a maioria dos livros atuais tem notas de rodapé <3

6) Chorei de soluçar:

A menina que roubava livros foi o que mais me emocionou, embora eu tenha "chorado de soluçar". Convergente também, mas teria sido pior se eu não tivesse recebido spoilers.




7) Divertido:

O guia do mochileiro das galáxias. Gostei mais do humor do livro do que da história em si, haha.

8) Próxima leitura:

O Mundo de Rebeca, que ganhei de Natal.

9) Quero ler, mas ainda não tenho:

Mansfield Park, para citar só um. Estou apaixonada pelos livros da Jane Austen, e esse é um dos dois que ainda não li.

10) Convide 5 amigos para responder.

Todos vocês que quiserem responder. Vou marcar a Raquel do Sweet Corner, a Nathalia do My Books' Paradise e a Marcela do Lady dos Livros.

Agora, tudo o que li em 2014, com um pequeno comentário e a classificação que dei no Skoob. No total, foram 33 livros!
(Link da resenha em cada título).

1. Coração - Edmondo de Amicis
Muito linda história. Cinco estrelas no Skoob.

2. Um grito de amor no centro do mundo - Kyoichi Katayama
Romance. Pretendo escrever a resenha. Três estrelas no Skoob.

3. A menina que roubava livros - Markus Zusak
Lindo, maravilhoso! Cinco estrelas.

4. Convergente - Veronica Roth
Último da trilogia Divergente. Final triste, mas me agradou por surpreender. Já estou com saudade dessa trilogia que conquistou meu coração :') Cinco estrelas.


5. Memórias de um sargento de milícias - Manuel Antônio de Almeida
Primeiro livro de literatura brasileira que li esse ano (por causa da escola, admito). Achei bem divertido. Três estrelas.

6. Auto da barca do inferno - Gil Vicente
Não sei se é considerado livro, por ser uma peça de teatro.

7. O amor pode ter asas: Segredos - Bianca Rocha
Um amor de história e um amor de autora! (Que inclusive responde as mensagens dos leitores no face/twitter). Três estrelas.

8. E se formos a última geração? - Públio Azevedo
Ganhei no sorteio do Meu Mundo em Tons Pastéis, junto com dois marcadores ímã muito fofos. Primeiro sorteio que ganho! Três estrelas.

9. Batendo à porta do céu - Jordi Sierra i Fabra
Lindo. História completamente diferente do que costumo ler, sendo realista, belo e interessante ao mesmo tempo.

10. O cavaleiro dos sete reinos - George R. R. Martin
Gostei, embora preferisse que o George lançasse Os Ventos do Inverno logo! Quatro estrelas.

11.  Emma - Jane Austen
Introdução ao meu amor por Jane Austen, maravilhoso! Cinco estrelas.

12. Morada das lembranças - Daniella Bauer
Três estrelas.

13. Orgulho e preconceito - Jane Austen
Lido em inglês, muito bom! Cinco estrelas, claro!

14. A promessa do tigre - Colleen Houck
Não achei grande coisa, para falar a verdade, apesar de gostar da série. Três estrelas.

15. O guia do mochileiro das galáxias - Douglas Adams
Três estrelas.

16. A Seleção - Kiera Kass
3 estrelas.

17. A Elite - Kiera Kass
3 estrelas.

18. A Escolha - Kiera Kass
3 estrelas.

19. Contos da Seleção: O Príncipe e O Guarda - Kiera Kass
3 estrelas.

20. A Cidade e as Serras - Eça de Queirós
O melhor que li de literatura brasileira esse ano. 4 estrelas.

21. O Sangue do Olimpo - Rick Riordan
A resenha diz tudo. 5 estrelas.

22. Duas vezes na floresta escura - Caio Riter
3 estrelas.

23. Memórias póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis
Comentei nas perguntas lá em cima. 4 estrelas.

24. Doze anos de escravidão - Solomon Northup
Muito bom! Pretendo escrever a resenha. 4 estrelas.

25. A verdade sobre o caso Harry Quebert - Joël Dicker
Ótimo! Resenha em breve, também, porque amei. 5 estrelas.


26. Quatro: histórias de Divergente - Veronica Roth
Amei! Resenha diz tudo também. 5 estrelas.

27. Touching the void (adaptado) - Joe Simpson
Essa história de livro adaptado pro curso de inglês é meio chato, porque o estilo de escrita acaba ficando muito simples. Mas esse livro não é dos mais interessantes mesmo. 2 estrelas.

28. Slumdog Millionaire (adaptado) - Vikas Swarup
Melhor que o anterior, bem mais interessante. É a história do filme Quem quer ser um milionário?. 3 estrelas.

29. Um estudo em vermelho - Sir Arthur Conan Doyle
Resenha diz tudo, porque Sherlock Holmes é incrível. 5 estrelas.

30. Razão e sensibilidade - Jane Austen
Leiam a resenha, por favor. Jane Austen, Jane Austen <3. 5 estrelas

31. A ilha de Bowen - César Mallorquí
Muito bom! 4 estrelas.

32. Persuasão - Jane Austen
Resenha em breve, com certeza! 5 estrelas.

33. O homem que calculava - Malba Tahan
Comentei lá em cima. 3 estrelas.

Ufa! É isso, gente. Espero que tenham gostado. Obrigada por me acompanharem mais esse ano, desejo a vocês um ótimo 2015!!

Beijos, Bia!

P.S.: como foram as leituras de vocês em 2014? E qual a meta para 2015?


Feliz Natal!

Olá, pessoal!

Vim desejar feliz Natal, como faço todos os anos, porque amo vocês, e o Natal é uma época para ser compartilhada com quem se ama. Nem todos o celebram e o consideram com o mesmo significado, mas para mim será sempre a data que representa (afinal, ninguém sabe ao certo) o nascimento de Jesus, a quem mais amo, que veio a nosso mundo para nos salvar e dar-nos a esperança e certeza de uma vida melhor e eterna depois dessa. Apenas saber disso faz do Natal especial, mas é ainda melhor quando passado ao lado de nossas famílias.
Além disso, a decoração que se espalha pela cidade durante o mês de Dezembro - as luzinhas coloridas, os papais-noéis e bonecos de neve de plástico que parecem muito deslocados nesse calor do Brasil, a árvore de Natal dentro de casa, seja grande ou pequena - dá a tudo um ar de alegria e beleza.
Sim, eu amo o Natal, e espero que todos vocês tenham um ótimo momento e celebração esse ano. Espero que ganhem livros, se pediram, mas valorizem principalmente a intenção de quem der algum presente e a companhia, simplesmente, de quem estiver com vocês.

Imagem de fundo do We <3 It e imagem do blog do cinnamonseries.com
Esse ano não preparei nenhuma playlist natalina (e swiftie) como a do ano passado (aqui) e nem estou tão animada quanto ano passado, haha, pois já tive natais melhores (e continuo amando) e além disso ninguém tá dando muita atenção para o que eu posto aqui ultimamente.

<3 (como eu nunca consigo deixá-la de fora por muito tempo) <3

Okay, então felicidades a todos! Beijos!


A Ilha de Bowen - César Mallorquí

Ficção científica no estilo Júlio Verne, aventura, mistério e humor em um livro só. Li e adorei A Ilha de Bowen, e aqui está a resenha!
O livro já ganhou o Prêmio Nacional de Literatura Infantil e Juvenil 2013 da Espanha e o
Prêmio Edebé de Literatura Juvenil 2012 da Espanha.
Espero que vocês gostem tanto quanto eu!


© Minhas Leituras - 2010. Todos os direitos reservados. Criado por: Beatriz. Layout por: Raquel do Prado. Tecnologia do Blogger. imagem-logo